Novo Kia Cerato deixa motor do passado para trás

Linha 2020 do sedã chega maior, mais tecnológica, segura e potente com motor 2.0 de 167 cavalos. Preços começam em R$ 94 mil

Por Lucas Cardoso

A dianteira do novo Cerato ficou mais esportiva graças a adoção de elementos do fastback Stinger
A dianteira do novo Cerato ficou mais esportiva graças a adoção de elementos do fastback Stinger -

Rio - O mês de setembro foi um breve cessar na chuva de SUVs no mercado nacional. Em menos de 30 dias, hatches, sedãs compactos e sedãs médios foram anunciados. O Kia Cerato 2020 é um desses novatos. O modelo chega com design agressivo, maior, melhor equipado e seguro, além de mais potente graças à troca do questionado motor 1.6 por versão 2.0 aspirada que rende 167 cv.

Anunciado na última terça-feira, o modelo chega às concessionárias em duas versões: EX por R$ 94.990 e SX, por R$ 104.990. O preço é, em média, R$ 5 mil mais baixo que a maioria dos concorrentes diretos entre os sedãs médios, entre eles o líder absoluto Toyota Corolla e o Honda Civic.

Versão EX conta com lanterna traseira em LED e, assim como no conjunto dianteiro, setas e luz de ré estão instaladas no para-choque - Lucas Cardoso

A principal novidade da linha 2020 do Cerato é o motor 2.0 de quatro cilindros aspirado, uma evolução do usado no SUV Sportage. A força gerada em ambos é de 167 cv de potência e 20,6 kgfm de torque. Contudo, o propulsor da linha NU de nova geração recebe revestimento em bronze para redução de atrito no bloco, bielas e virabrequim. O motor chega associado ao câmbio automático de seis marchas do tipo conversor de torque, com sistema de modos de condução.

O motor é o quatro cilindros NU2 2.0, que rende 167 cv e 20,9 kgfm, ambos a 6.200 rpm; visual remete ao irmão mais caro e potente Stinger; câmbio automático de seis marchas tipo conversor de torque e seletor de modos de condução, com quatro perfis: smart, drive, sport e eco; versão EX: lanterna traseira em LED e na dianteira, setas e luz de ré no para-choque - Lucas Cardoso

O visual do Cerato é outra mudança importante. Após beber da fonte do fastback Stinger GT, o modelo entrega desenho jovem, com dianteira imponente, lateral espichada e traseira menos comum. Destaque para a  frente, onde foram mantidos elementos como a grade em formato 'nariz de tigre' e acrescidos novos detalhes, como o conjunto ótico e para-choques com tomada de ar trapezoidal.

De perfil, as novas rodas de liga chamam atenção pelo design, mas não pelo tamanho: 16'', com pneus de perfil alto — uma polegada a mais já deixaria o visual mais imponente. Além disso, há um novo padrão de vinco lateral. Atrás, destaque para as lanternas de LED com barra defletora que une as duas peças. Assim como na dianteira, luz de ré e setas agora ficam no para-choque. Apesar de deixar o Cerato mais bonito, a escolha pela posição das luzes pede atenção redobrada em manobras.

A nova linha cresceu 8 cm em comprimento, 2 cm em largura e perdeu 78 kg no peso total, que passa para 1.283 kg - Lucas Cardoso

Quando o assunto é design interno, só a manopla do câmbio automático remete ao modelo antigo. Todo o restante na cabine é novo. A começar pelo painel do carro, que recebe linhas mais atuais e incorpora de maneira harmônica a central com tela de oito polegadas flutuante.

Bancos têm bom apoio para pernas e costas. Há ajustes de altura e angulação do encosto para o motorista, ambos manuais. Já o volante também pode ser ajustado nos dois eixos (altura e profundidade). Vale destacar que os bancos possuem acabamento em couro e aquecimento na versão SX. Na segunda fileira, há saída de ar, que é automático e dual zone.

Interior do modelo ficou mais tecnológico graças a central multimídia de oito polegadas, com função de espelhamento via Android Auto e Apple Car Play, navegador GPS e conexão via Bluetooth - Lucas Cardoso

A nova geração do sedã sul-coreano também está maior quando comparada à linha anterior. São oito cm a mais no comprimento e dois cm na largura, ficando com 4,64 metros e 1,80 m, respectivamente. Apesar de ter espichado em algumas medidas, a Kia decidiu manter o já bom entre-eixos de 2,70 m do sedã (mesma medida do Toyota Corolla), para gastar todo o espaço de sobra no porta-malas. O compartimento agora pode levar até 520 litros — quase 100 litros a mais.

Três voltas no circuito 

O primeiro contato com o renovado sedã foi na pista do Autódromo Capuava, em Indaiatuba, interior de São Paulo. Apesar do pouco tempo ao volante — foram apenas três voltas com versão topo SX, que chega mais equipada e com preço definido em R$ 104 mil — fica claro o salto de qualidade desta nova geração.

A começar pelo desempenho do motor 2.0, que entrega seus 167 cv de potência para empurrar o Cerato com certa facilidade. Mesmo com os 78 quilinhos a mais da linha 2020 (agora o carro pesa 1.283 kg), acelerações parecem não ser um problema para o sedã. Não há mais aquela sensação de peso sobrando e força faltando, que era queixa comum entre os clientes.

A boa relação entre o motor aspirado de dois litros com o câmbio automático de seis marchas só pareceu não dar resultado em algumas retomadas, quando percebemos respostas atrasadas ao comando do acelerador. Mas em situações na cidade ou rodovia, ambientes mais condizentes com a proposta do Cerato, o sintoma não deve ser sentido. Colocar o seletor de modos de condução na opção 'Sport', reduz essa sensação, mas não por completo.

Por outro lado, só elogios para o comportamento dinâmico. Mesmo pisando fundo no acelerador e freando no limite, o Cerato mostra intimidade com as curvas. Basta um toque no volante para que o sedã aponte certo e contorne com precisão as curvas abertas e fechadas. E nada de inclinação exagerada da carroceria. O modelo tem suspensão do tipo McPherson (dianteira) e eixo de torção (atrás). Os freios são a disco nas quatro rodas. 

Na pista e no papel, o Cerato se mostrou um bom concorrente no segmento. A questão é se o bom conjunto vai dar bom resultado nas concessionárias da Kia em um segmento dominado por Corolla e Civic. Se depender das projeções da montadora, que pretende vender 1.350 unidades até o fim do ano, isso deve acontecer.

Novo visual do Cerato remete ao irmão mais caro e potente Stinger - Lucas Cardoso

 

 

Bem equipado de série

Outro acerto do modelo está na lista de equipamentos. Desde a versão EX, o Cerato já oferece seis airbags, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, central multimídia e chave presencial - que permite acessar o veículo sem tirar a chave do bolso. Completam a lista, farol de neblina, DRL, estepe efetivo (5ª roda).

Há ainda o sistema de modos de condução, com quatro modos: Eco, que privilegia a tocada mais econômica; Sport, onde as trocas de marcha são atrasadas, para dar mais fôlego; Confort, estilo padrão; e o "smart", que é capaz de se adequar ao perfil de direção de cada motorista.

A opção topo SX agrega o ar dual zone, acabamento de couro, apoio de braço, partida por botão, lanternas traseiras de LED, frisos cromados nas portas, aletas para mudanças de marcha no volante, pedaleiras em aço escovado, retrovisor interno eletrocrômico e externos rebatíveis eletricamente. Além também de bancos dianteiros com a opção de aquecimento.

Galeria de Fotos

Assinatura em LED com quatro pontos é destaque no conjunto de iluminação do Cerato 2020 Lucas Cardoso
Interior do modelo ficou mais tecnológico graças a central multimídia de oito polegadas, com função de espelhamento via Android Auto e Apple Car Play, navegador GPS e conexão via Bluetooth Lucas Cardoso
Modelo utiliza câmbio automático de seis marchas do tipo conversor de torque e seletor de modos de condução, com quatro perfis: smart, drive, sport e eco Lucas Cardoso
Pegada esportiva da versão é reforçada com pedaleiras e apoio de pé em aço escovado Lucas Cardoso
Padronagem de bancos do Cerato 2.0 tem mais apoio para as pernas e costas Lucas Cardoso
Versão EX conta com assentos com revestimento em couro, perfurações e costuras em branco Lucas Cardoso
Apesar de ter crescido, linha 2020 manteve a mesma medida de entre-eixos da geração passada com 2,70 m Lucas Cardoso
Ponto alto da atualização, o porta-malas do sedã médio agora comporta até 520 litros, cerca de 100 a mais, quando comparado a linha anterior Lucas Cardoso
O motor é o quatro cilindros NU2 2.0, que rende 167 cv e 20,9 kgfm, ambos a 6.200 rpm; visual remete ao irmão mais caro e potente Stinger; câmbio automático de seis marchas tipo conversor de torque e seletor de modos de condução, com quatro perfis: smart, drive, sport e eco; versão EX: lanterna traseira em LED e na dianteira, setas e luz de ré no para-choque Lucas Cardoso
A dianteira do novo Cerato ficou mais esportiva graças a adoção de elementos do fastback Stinger fotos Lucas Cardoso
A grade dianteira da nova linha do sedã mantém o formato 'focinho de tigre' tradicional nos modelos da Kia Lucas Cardoso
O conjunto de iluminação dianteiro usa projetores tradicionais e assinatura em LED, com quatro pontos em 'X'. Luz diurna e setas ficam na parte inferior do para-choque Lucas Cardoso
As rodas de liga leve 16 polegadas do Cerato com perfil alto e design exclusivo, Lucas Cardoso
Versão EX conta com lanterna traseira em LED e, assim como no conjunto dianteiro, setas e luz de ré estão instaladas no para-choque Lucas Cardoso
Iluminação traseira conta com filete defletor que une as lanternas Lucas Cardoso
A versão 2.0 do sedã médio substitui o antigo motor 1.6 de 127 cavalos Lucas Cardoso
A nova linha cresceu 8 cm em comprimento, 2 cm em largura e perdeu 78 kg no peso total, que passa para 1.283 kg Lucas Cardoso
Acabamento em black piano no para-choque dianteiro foi inspirado no esportivo Stinger Lucas Cardoso
Novo visual do Cerato remete ao irmão mais caro e potente Stinger Lucas Cardoso
Novo visual do Cerato remete ao irmão mais caro e potente Stinger Lucas Cardoso

Comentários