Conheça Mc Benné, o funkeiro que a música salvou do tráfico

Aos 21 anos, Felipe Benedito tem 8 anos de carreira e já cantou ao lado de Nego do Bore, Duduzinho e Swing Simpatia

Por O Dia

Mc Benné
Mc Benné -
Nascido em Engenheiro Paulo de Frontin, no interior do Rio, e atualmente morando em Austin, na Baixada Fluminense, Felipe Benedito, conhecido no meio do funk como Mc Benné, tem a música como sua "salvação". Aos 21 anos, ele busca reconhecimento de seu talento no meio musical, mas para quem acha que a pouca idade faz dele um artista iniciante, está enganado. Mc Benné já coleciona um total de oito anos de carreira e já tem em seu currículo participações em shows de artistas como Nego do Borel, Mc Duduzinho e Swing Simpatia.
"Comecei em 2012. Sempre fui carioca, mas fui morar em Espirito Santo e depois voltei pro Rio para morar com meu pai. Em 2012 eu conheci o funk através de um projeto que eu fazia parte. Antes desse projeto eu estava quase entrando pro tráfico. Conheci esse projeto, escutei um funk do Mc Andrezinho Shock, e através daquela música ali eu comecei a querer ser igual a ele. Comecei a entrar mais no projeto, conheci o passinho, e através do passinho fui em programas de televisão como 'Esquenta', 'Caldeirão do Huck' e 'Xuxa' para dançar. Comecei a cantar e desde então, até hoje eu tô aí nessa caminhada tentando realizar o meu sonho que é viver desse trabalho. Graças a Deus eu fui salvo pelo funk", conta Benné.
No início da carreira, ele usava 'Mc Lipe' como nome artístico. Foi nesta época que Benné começou a investir esforços atrás de seu sonho de se tornar um Mc respeitado. "Eu cantava em tudo que era lugar. às vezes eu ia cantar em um local e tinha dez pessoas, mas eu estava lá me apresentando", diz. Fã declarado de Mc Duduzinho, ele afirma que a virada de sua carreira aconteceu depois de cantar pela primeira vez com seu ídolo. "Sou muito fã do Mc Duduzinho. Em 2014 fiz uma campanha na internet pra dar uma palhinha com ele no palco do show dele. Em 20 dias eu consegui e cantei com ele em Austin, em uma casa de shows. De lá pra cá minha vida deu uma mudada. Comecei a cantar em outros lugares, comecei a ser mais visto", revela.
O funkeiro também se orgulha em dizer que já dividiu o palco com nomes reconhecidos da música brasileira e que, inclusive, já fez a abertura de um show de ninguém menos que Anitta. "Eu já abri um show da Anitta, mas já tem um tempo isso. Foi lá atrás, bem no início da carreira dela. Cantei com o Swing Simpatia em uma parceria no palco... Com o Nego do Borel eu cantei no ano passado, quando ele foi se apresentar na minha cidade, Paulo de Frontin. Eu estava na plateia e ele me chamou para subir ao palco com ele. Nós cantamos e fizemos rima. Ele até me elogiou muito. Disse que tenho muito talento. Houve outra oportunidade de cantar com ele, mas acabou que choveu e a apresentação dele foi cancelada", afirma.
E em meio a tantos perrengues ao longo de sua trajetória, Benné conta que já passou por muitas dificuldades e que já até morou na ruas do Rio, sendo resgatado com a ajuda da colega de ritmo Tati Quebra Barraco. "Já morei na rua, e nessa época eu conheci a Tati Quebra Barraco, na comunidade Cidade de Deus. De dia eu morava na rua e à noite eu ia pro baile da CDD. A Tati me ajudou muito. Conheci uma família através dela. Essa família me tirou da rua, e eu fiquei morando com essa família por uns dois meses. Mas eu não pude ficar com eles porque eu tinha família e eles também não podiam ficar comigo. Fui ficando com eles até onde dava, porque eu tinha que estudar também. Eles me levaram pra um abrigo, até o dia que a minha mãe foi me buscar", explica.
Mc Benné também fala da dificuldade em conseguir seu lugar ao sol e da desunião da massa funkeira no Rio de Janeiro. "Estou em busca do meu lugar ao sol. Pena que o Rio de Janeiro não nos dá a oportunidade de trabalho que precisamos, porque aqui temos uma desunião muito grande entre a massa funkeiro. Ninguém que está em cima ajuda quem está muito embaixo. É muito difícil. Em São Paulo é totalmente diferente. Ontem eu estava vendo os novos contratados da GR6. Aqui no Rio não tem uma empresa de funk igual São Paulo tem. Se tivesse, muita gente seria ajudada. Outros Mc's que também estão começando como eu teriam mais oportunidade", acredita.
Por fim, Benné cita suas metas a serem realizadas ao longo de sua carreira. "No momento meu sonho é estourar minhas músicas e conseguir o auxílio de alguém que possa me ajudar a desenvolver melhor minha carreira. Também tenho o sonho de cantar com a Anitta. Queria ver se ela enxerga um talento em mim e quem sabe possa me ajudar", declara. 
Veja fotos:
 
 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Mc Benné Divulgação
Mc Benné e Nego do Borel Divulgação
Mc Benné e Mc Duduzinho Divulgação
Mc Benné e Swing Simpatia Divulgação
Mc Benné Divulgação
Mc Benné Divulgação
Mc Benné e Mc Duduzinho Divulgação
Mc Benné Divulgação

Comentários