Viúva revela que Chico Anysio sofreu abuso sexual do irmão mais velho quando criança

Malga di Paula conta ainda que Chico nunca se afastou de Elano de Paula, porque queria dar a ele a oportunidade de pedir perdão por tudo que fez

Por O Dia

Malga di Paula em entrevista à Antônia Fontenelle
Malga di Paula em entrevista à Antônia Fontenelle -
Em entrevista ao canal 'Na Lata', de Antônia Fontenelle, Malga di Paula, viúva do Chico Anysio, fez uma revelação à pedido do ator, antes de sua morte, para que sua história de vida não fosse contada pela metade. Malga contou que o artista sofria "todos os tipos de abuso" pelo seu irmão mais velho, Elano de Paula, morto em abril de 2015, aos 92 anos, em decorrência de problemas respiratórios. Segundo a viúva, Chico não conseguia falar sobre esse assunto.
"Eu vou dizer, porque ele pediu pra eu dizer. Ele pediu pra eu dizer, porque ele não conseguia falar sobre isso. O Chico, se fosse em uma família moderna, ele teria sido tomado dessa família. Não deixariam uma criança viver nas condições que o Chico vivia, porque ele era espancado quase todos os dias. O Chico sofreu todos os tipos de abuso pelo irmão dele mais velho, que se chamava Elano. Essa confusão dos filhos, foi ele quem criou. Ele infernizou a vida do Chico mesmo depois de morto. O irmão abusava dele e a mãe sabia", contou Malga à Antônia.
Ainda segundo ela, uma dos motivos que fez o Chico Anysio não falar sobre isso foi sua irmã Lupe Gigliotti, mãe da diretora Cininha de Paula. O ator não queria deixar a Lupe triste. Malga esclareceu que embora as pessoas não acreditem que Chico Anysio via em seu irmão mais velho um algoz, já que os dois nunca tenham se afastado e tenham, inclusive, escrito um livro juntos, o ator tinha um motivo para se aproximar do Elano: o exercício do perdão. 
"As pessoas que conheciam um pouco mais a família devem se perguntar como o Elano fazia essas coisas com o Chico e o Chico estava sempre perto do Elano. Muita gente pode achar que não é verdade, porque o Chico tem livro escrito junto com o Elano e o Chico chamava ele pra fazer coisas. O Chico várias vezes me falou: 'eu quero dar a ele a oportunidade de me pedir perdão, por isso que eu fico perto dele. Não é por mim, é por ele. Toda vez que eu falo com ele eu estou dando a ele a oportunidade de me pedir perdão'", contou Malga que foi às lágrimas.
"Isso machucou o Chico todos os dias da vida dele desde que eu o conheci. Eu tô falando porque ele me falou que eu poderia falar. Ele me disse: 'eu não consigo falar, mas a minha história não pode ser contada pela metade, porque eu sou o Chico Anysio, mas quando acontecia isso comigo eu era o Oliveirinha. E o Oliveirinha não viveria naquela família hoje.' Eu sei quantas vezes nós choramos juntos, porque eu não sabia de todos os tipos de abuso. Eu fiquei sabendo mais no final da vida dele. Eu chorava com ele sabendo apenas sobre o espancamento, do abuso moral, da exposição, porque uma vez o Elano colocou ele pelado em um carro e saiu pela cidade. Ele era uma criança e a mãe permitia tudo. A mãe apoiava e muitas vezes a mãe mandava ele bater", conclui.  
Assista a entrevista completa:
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O DiaFaça uma contribuição

Comentários