Boninho tira Big Brother Brasil da UTI em temporada histórica

Diretor conseguiu concluir a missão de colocar esta edição como histórica

Por O Dia

Boninho
Boninho -
Quando estreou em 21 de janeiro, o 'BBB20' trazia nas costas um fardo pesado. Em suas últimas edições, o programa vinha perdendo audiência com temporadas como a de 2019, que foi uma das mais mornas e amplamente criticada pelo público e imprensa. O diretor do programa, Boninho, tinha a missão de resgatar o prestígio que o programa teve em suas edições históricas, onde criou nomes que até hoje permeiam o entretenimento. Quem não se lembra de Klebber Bambam, Grazi Massafera, Jean Willys e Sabrina Sato, entre outros grandes nomes?
O 'BBB20' tinha que dar certo e isso não era uma opção, mas sim uma missão. Boninho pode até receber críticas por seu gênio forte, mas se tem algo que o diretor tem, é sangue no olho para virar qualquer jogo. E dessa vez não foi diferente! Boninho fez o programa ser o único concorrente em destaque na imprensa durante a pandemia de coronavírus. Logo no anúncio dos participantes, uma surpresa: além dos inscritos, algumas pessoas foram convidadas e a casa já começou dividida em 'camarote', onde ficavam os convidados do programa - atores, cantores, atletas, influenciadores e pessoas conhecidas na internet - e 'pipoca', onde ficavam as pessoas anônimas que se inscreveram no reality.
O circo estava montado e Boninho queria que ele pegasse fogo. Não tardou, fãs da atração começaram um grande debate sobre o fato dos participantes conhecidos já começarem com vantagens sobre os anônimos. E então colocaram fogo no parquinho. O que começou com famosos contra anônimos, virou homens contra mulheres, depois de uma sucessão de falas machistas de Felipe Prior, Guilherme Napolitano, Lucas Gallina, Hadson Nery, Lucas Chumbo e Petrix Barbosa, que deu início à primeira conversa machista com a intenção de manchar a imagem das participantes Bianca Andrade e Mari Gonzalez. Chumbo foi eliminado e em seguida veio a primeira reviravolta: enquanto todos achavam que Petrix era amigo, ele se mostrou inimigo de todas aquelas que confiaram nele. A equipe de edição do programa teve olhos de lince para trazer à tona todos os planos e brigas protagonizados pelos participantes.
Para entornar ainda mais o caldo, entraram mais dois participantes através da escolha do público. Como estavam na casa de vidro, esses novos integrantes receberam informações privilegiadas e mesmo aconselhados por Boninho a tomarem cuidado com tudo que sabiam, eles adentraram à casa repassando tudo que descobriram. Instaurou-se a Santa Inquisição no programa num comboio liderado pelo exército das fadas sensatas, que aos berros e lágrimas impunham seus lugares de direito. A partir daí, os homens e suas atitudes machistas foram caçados, um a um.
Ninguém conseguiu passar mais de duas semanas no mesmo papel. O estrategista Pyong virou o soberbo, o vilão Prior virou o galã, Thelma, adjetivada por alguns como a planta, colocou suas garras para fora e mostrou que não estava ali para brincadeira. Marcela Mc Gowan, que durante muito tempo foi considerada a campeã do jogo, aliou-se a Daniel, que trouxe as informações externas, o que fez com que seu discurso pouco a pouco fosse desmontado, já que ela permitia no seu affair, que deu mancada atrás de mancada, o que julgava errado nos outros participantes.
Mas Boninho queria mais! Depois de criar personagens que ficaram marcados na temporada, agora ele queria recordes. Aí veio o paredão do então alçado ao postos de galã amado por meio Brasil, Felipe Prior e a nomeada chefe das fadas sensatas, Manu Gavassi. O Brasil já em meio a quarentena, virou uma trincheira. Torcidas comandadas por Neymar, Gabigol, Gabriel Medina, Eduardo Bolsonaro, entre outros, enfrentaram Bruna Marquezine, que levantou seu exército em mutirões para aniquilar a possível ameaça. E num país polarizado, Bruna Marquezine garantiu a estada da amiga na casa, fazendo com que Felipe Prior fosse eliminado da casa mais vigiada do Brasil com uma votação de mais 1,5 bilhões de votos. Boninho mais uma vez batia sua meta de transformar esta edição num sucesso comercial e de público. A votação deste paredão entrou para o Guiness Book mundial como a maior da história de realities. 
O diretor, que fez a linha bombril, não se conteve em somente dirigir o programa. Ele ainda se fazia valer das redes sociais para fomentar mais a curiosidade do público com dicas do que traria nas próximas provas e capítulos. Diretor, marqueteiro e ombudsman do programa, ele não deixou nem a falta de shows presenciais abalar suas metas e trouxe para o confinamento uma série de shows virtuais que se tornaram a balada não só dos brothers, mas de muitos que acompanharam cada festa.
O programa virou praticamente ponto de peregrinação de cantores pedindo para participarem e de anunciantes à procura de um espaço para colocar seus produtos em exposição, mesmo na reta final do programa. Estima- se que o programa tenha faturado mais de 350 milhões de reais durante a temporada de 2020.
Se ainda teremos surpresas? Só saberemos na noite de hoje, quando acontece a final do programa que traz Rafa Kalimann, Manu Gavassi e Thelma Assis. Independente qual das três competidoras receberá o prêmio de R$ 1,5 milhão, o grande campeão dessa temporada atende pelo nome de José Bonifácio Brasil de Oliveira, o Boninho!

Comentários