Ex-repórter detona discussão em programa da Globo: 'Covardia'

Thiago Asmar saiu em defesa de Caio Ribeiro no bate-boca com Casagrande durante o 'Bem, amigos!'

Por O Dia

Thiago Asmar
Thiago Asmar -
O ex-repórter esportivo da Globo, Thiago Asmar resolveu meter a colher na discussão que aconteceu na última segunda-feira (4) no programa 'Bem, amigos!', da Sportv, entre Casagrande e Caio Ribeiro. 'Mais uma vez eu vou ter que falar sobre a emissora em que eu trabalhei por nove anos. O que aconteceu no programa foi uma covardia ! Foi um absurdo o que fizeram com o Caio Ribeiro e eu posso falar com propriedade porque já sofri muito isso", começou o agora o apresentador do canal 'Pilhado', do YouTube.
Caio e Casagrande discutiram após o ex-meia do São Paulo e do Flamengo criticar uma fala de Raí e Casão disse que aquilo era censura. O clima ficou quente e virou polêmica no dia seguinte.
"Quando você tem uma opinião contrária a 'panelinha', todos se voltam contra você", continuou Asmar. Ele também considerou que Caio foi 'encurralado' na atração e depois preferiu ficar calado. "O Caio tinha que ter ido pra dentro do Casão na discussão. Não tenho nada contra o Casagrande, mas quem é ele pra falar de ética com alguém, porra? Eu tenho minhas falhas e assumo minhas falhas, mas vai crucificar o cara diante de todos os erros que ele já teve?"
Asmar ainda revelou que se fosse com ele, teria 'porrada'. "Eles sabem que se fosse comigo não iria ficar daquele jeito. Aquilo ali era para dar porrada depois do programa. Era para dar discussão pau a pau e porrada se fosse o caso. Aquilo não foi legal, não foi correto. Tive que dar minha opinião", finalizou.
Asmar foi demitido da Globo em 2017, mas dois anos antes ele tinha sido suspenso após o vazamento de um vídeo com Carol Muniz, ex-namorada do então dirigente da CBF na época, Marco Polo Del Nero. Ele saiu da reportagem e ficou na produção, mas ficou sem clima. Em várias entrevistas sobre a sua demissão , ele chegou a contar que um grupo tinha feito um abaixo-assinado pedindo sua saída.

Comentários