Thayse Teixeira revela por que não deu sorveteria ao adolescente que sofreu bullying

A ex-peoa da 'Fazenda' diz que foi orientada juridicamente a não abrir um novo negócio e que irá dar uma máquina de sorvetes ao menino Adão

Por O Dia

Thayse Teixeira
Thayse Teixeira -
A ex-peoa da 'Fazenda' Thayse Teixeira vem sendo cobrada por seus seguidores para dar uma resposta ao adolescente de 14 anos que ela prometeu dar uma sorveteria, após se sensibilizar com a história dele em setembro do ano passado. Adão sofreu bullying dos colegas por estar vendendo geladinho. Em vídeo que viralizou nas redes sociais, ele chora com as agressões verbais, o que sensibilizou os internautas. 
A coluna procurou Thayse para saber se ela vai ou não dar a sorveteria ao menino. Segundo a empresária, o plano da sorveteria mudou, após ela ter sido aconselhada pelo departamento jurídico. "Eu me sensibilizei com a história da criança há alguns meses atrás e logo em seguida eu entrei na 'Fazenda'. Quando eu saí, fui à Manga Rosa, uma fábrica de sorvetes que fica em Maceió - Alagoas. Eu até filmei e mostrei no dia que fui lá. O jurídico da empresa me aconselhou a não montar empresa para um menor incapaz, visto que ele tem menos de 18 anos e que sua família não tem como administrar uma empresa", disse Thayse à coluna.
A influenciadora ainda contou o plano B que ficou acordado para ajudar o menino Adão, já que a sorveteria não foi aconselhada. "Eu levaria uma máquina de sorvetes para que ele mesmo produzisse em sua casa. Porém, veio a pandemia e eu não cheguei a ir na cidade dele, como era o meu plano", disse Thayse, que ainda não tem uma previsão de quando deve conseguir ir na casa de Adão, no Maranhão. 

Comentários