'Achei que estava morto', diz repórter da Globo sobre resgate no Cais do Valongo

Rogério Coutinho contou que não tinha noção de primeiros socorros e agora fala todos os dias com o funcionário da Comlurb

Por O Dia

Rogério Coutinho
Rogério Coutinho -
Repórter da Globo, Rogério Coutinho deu detalhes do resgate de um funcionário da Cedae no Cais do Valongo na semana passada. "Eu entrei, cheguei no corpo dele, mas não conseguia alcançá-lo. E aí o Ricardo (motorista da emissora) entrou e conseguiu dar um tranco na mão dele. Peguei por baixo e nós dois conseguimos tirá-lo. Ele saiu com os olhos virados e eu achei que ele estava morto porque não respirava. Depois de uns 15 segundos, parecia que ele estava fazendo força para respirar e começou a respirar. Lembro que eu falei que ele era um cara forte e foi muito emocionante. Fico até arrepiado", começou.
Rogério revelou na live com Wellington Andrade nesta segunda-feira (27) que conversa todos os dias com o homem que salvou. "A gente conversa todos os dias. Sinceramente, eu não tinha ideia da repercussão, recebi muitas mensagens e quero até agradecer as pessoas pelo carinho. Muito obrigado. Não dava para ficar ali assistindo, vendo a pessoa embaixo da água e não fazer nada. Não teria cabimento", finalizou.

Comentários