Sikera Jr
Sikera JrDivulgação
Por O Dia
Publicado 28/09/2020 05:00 | Atualizado 28/09/2020 20:43
Ativista dos direitos LGBTQI+, Agripino Magalhães deve registrar nesta segunda-feira (28), um boletim contra o apresentador Sikera Junior por transfobia. Ele reuniu um verdadeiro dossiê contra o comandante do 'Alerta Nacional', que contém falas homofóbicas e preconceituosas do apresentador em seu programa da RedeTV!, além de prints de um post transfóbico no Instagram do comunicador. A publicação diz o seguinte: "Transgênero é uma pessoa que não aceita o próprio nome, o próprio corpo, a própria voz, a própria vida, mas quer ser aceito por todo mundo”, diz a publicação, que foi retirada do ar pela plataforma por ser considerada um ataque a um grupo de pessoas com base em orientação sexual ou identidade de gênero. Já no 'Alerta Nacional', entre outras falas, Sikera chegou a associar usuários de drogas a homossexuais ao dizer que "todo maconheiro dá o anel".

Galeria de Fotos

Instagram retira publicação de Sikera Junior do ar por considerá-la preconceituosa Reprodução Instagram
Sikêra Jr invade o 'Alerta Nacional' em uma empilhadeira Reprodução
Sikera Junior está de alta reprodução Instagram
Sikêra JR Reprodução
Sikêra Jr. fala sobre coronavírus no 'Alerta Nacional' Reprodução
Mayara Rocha e Sikêra Jr. Reprodução
Sikera Junior Divulgação
Sikera Jr Divulgação


"Ele não respeita mais a gente há muito tempo. Eu só não tinha processado ele ainda, porque uma transexual prometeu acionar ele, mas acabou que não fez. Esse tipo de gente (preconceituosa) só tem respeito pela gente (LGBTQI+) quando a gente coloca na Justiça, porque o preconceito da LGBTfobia agora é crime de racismo, então é inafiançável. Pode pegar de um a dois anos de prisão, podendo chegar até cinco, porque quando você é um comunicador, você divulga o crime de homofobia na televisão e nas redes sociais", diz Agripino.
Publicidade
Procurada, a assessoria de Sikera Junior não retornou o contato até o fechamento desta nota.