Paes é contra entrada do DEM no governo Wilson Witzel

Ex-prefeito é pré-candidato ao cargo na eleição de 2020

Por CÁSSIO BRUNO

Paes e Witzel participaram de debate durante campanha no ano passado
Paes e Witzel participaram de debate durante campanha no ano passado -
O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes confidenciou, nos bastidores, ser contra o DEM, seu atual partido, entrar no governo Wilson Witzel (PSC). Pré-candidato à sucessão de Marcelo Crivella (PRB), Paes já conversou com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que negocia o comando da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Obras. Como revelou a Coluna no domingo, Maia indicou Bruno Kazuhiro, presidente da Juventude da legenda, para o cargo. Paes é a favor de o DEM participar apenas da base de apoio de Witzel na Alerj. O governador e a família Maia ensaiam uma aliança para a campanha do ex-prefeito em 2020.

EX-PREFEITO TEME FRACASSO DA GESTÃO

Paes tem três argumentos para que o DEM não embarque no Palácio Guanabara. De acordo com ele, todos poderiam gerar pautas negativas durante a campanha. Primeiro: como explicar os pesados ataques dele a Witzel na disputa pelo governo estadual no ano passado? Segundo: e se a gestão de Witzel der errado, já que ainda falta mais de um ano para as eleições municipais? Terceiro: o DEM assumiria exatamente a secretaria que provocou mais problemas a Paes: a de Obras. Seu ex-secretário foi preso pela Operação Lava Jato.

ESTRATÉGIA DE CRIVELLA É ATACAR GLOBO

O resultado de uma pesquisa encomendada pela coordenação de campanha de Crivella apontou que o prefeito deve continuar com os ataques ao Grupo Globo. A mostra revelou que a estratégia de confronto com os veículos de comunicação dos Marinho beneficia Crivella no eleitorado de Jair Bolsonaro (PSL). E, acredite, numa parte dos simpatizantes da esquerda. Na semana passada, prefeito e equipe comemoraram a polêmica da Bienal do Livro sobre o gibi que tinha um beijo gay.

MDB NÃO APOIARÁ MAX EM NOVA IGUAÇU

Pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu, o deputado estadual Max Lemos está numa sinuca de bico. Seu partido, o MDB, apoiará, veja só, o prefeito Rogério Lisboa (PR), que tentará a reeleição. Sem saída e com medo de perder o mandato, Max não convenceu o presidente da legenda, Leonardo Picciani, a liberá-lo sem briga judicial. Aliás, não é mais segredo para ninguém que Max namora o PDT faz tempo.

A LEGENDA ENGORDARÁ

O PSC, que tem três deputados, crescerá na Alerj. Léo Vieira, então no PRTB, embarca no partido de Pastor Everaldo e de Witzel. Outros já estão fechados: Marina Rocha (hoje no PMB) e Marcelo Cabeleireiro (atual DC).

DISPONÍVEL PARA BORNIER

Em Nova Iguaçu, o PSC foi aberto para o ex-prefeito Nelson Bornier concorrer novamente por lá. O fi lho dele, Felipe Bornier, é secretário de Esportes de Witzel. A família perdeu o comando do Pros para os Garotinho.

A TRETA DAS AUTORIDADES

Chamado de tirano pelo deputado estadual Renato Zaca (PSL) aqui na Coluna, o comandante do 4° BPM (São Cristóvão), Ari Jorge Alves dos Santos, entrou com uma representação no Ministério Público contra o parlamentar.

POUCO TEMPO PARA A BOIA

Zaca fez duas críticas ao comandante por ele conceder apenas 45 minutos de almoço à tropa que fazia turno de 12 horas. Mas... o MP não acatou o pedido de investigação e decidiu arquivar o caso.

SOB NOVA DIREÇÃO

Após briga judicial, o presidente da Câmara de Belford Roxo, Marcinho Bombeiro (PSL), deixou o cargo. Os vereadores elegeram Nelci Praça (PTB) para comandar a Casa.

PICADINHO

Carlos Alberto Serpa inaugura hoje o Festival de Cultura, da Fundação Cesgranrio, que fi ca aberto até o próximo dia 22.

O TopShopping recebe terça, às 18h30, o “Meu Job, Meu Jeito”, do Senac Nova Iguaçu. É voltado para empreendedores.

A Mostra de Arte, Ciências e Cultura, que acontece sábado, no Castelinho do Ceat, tem entrada grátis. Mas as oficinas são R$ 30.

DESCE

CARLOS BOLSONARO

MP do Rio investiga uso de funcionários fantasmas e “rachadinha” no gabinete do vereador licenciado do PSC.

DESCE

DAVID MIRANDA

Coaf apontou “movimentações atípicas” de R$ 2,5 milhões na conta bancária do deputado federal do PSOL.

Comentários