Witzel tentará evitar 'desastre' após PSL deixar governo do Rio

Governador vai procurar presidente Jair Bolsonaro, possível adversário nas eleição de 2022

Por CÁSSIO BRUNO

Witzel sorri para Jair Bolsonaro em recente evento na Vila Militar
Witzel sorri para Jair Bolsonaro em recente evento na Vila Militar -
RIO - Quando voltar da viagem de Paris com a esposa amanhã, o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), deve procurar Jair Bolsonaro (PSL). Segundo fontes do Palácio Guanabara, Witzel tentará uma reaproximação com o presidente. O objetivo será o de evitar “um desastre” provocado pelo anúncio do senador Flavio Bolsonaro de retirar o PSL da base aliada de Witzel na Alerj. Ao todo, são 12 parlamentares, a maior bancada. Na avaliação de interlocutores, há ainda outro temor causado pelo sonho de Witzel em disputar a Presidência, em 2022, contra Bolsonaro: a torneira da União fechar para repasses de recursos federais.

UM DESEMBARQUE JÁ ESPERADO

O desembarque do PSL do governo do estado já era esperado. A família Bolsonaro aguardava apenas os sinais públicos de Witzel para sacramentar uma decisão que estava tomada. Na sexta-feira passada, Flavio comunicou isso aos integrantes da legenda em seu escritório, na Barra. A situação se agravou nas últimas semanas. Witzel declarou, em entrevistas, seus planos políticos até então limitados aos bastidores. Os Bolsonaro argumentam que Witzel se elegeu graças ao apoio do presidente.

‘NÃO FAREMOS UMA OPOSIÇÃO BELICOSA’

Líder do PSL na Alerj, Dr. Serginho afirmou que a orientação dos Bolsonaro será seguida. Mas... em partes. “Foi decisão política. Não quer dizer que faremos uma oposição belicosa. Temos compromisso com o Rio”, disse. A pedido de Flavio, o deputado avisará amanhã aos colegas que entreguem seus cargos no governo Witzel. São dois secretários: Leonardo Rodrigues (Ciência e Tecnologia) e Major Fabiana (Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência), além de dezenas de indicados pela bancada.

ENCONTROS DA ESQUERDA JÁ TÊM DATA

Estão marcados para 18 e 19 de outubro os encontros de PSB, PDT e PV para debater o lançamento de uma candidatura de esquerda à Prefeitura do Rio como alternativa ao deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), que não terá o apoio dos três partidos. O local das reuniões será definido. O também deputado federal Alessandro Molon (PSB) e a deputada estadual Martha Rocha (PDT), pré-candidatos, participarão.

É TUCANO, MAS NEM TANTO

Aliado do deputado Luiz Paulo contra a nova direção do PSDB no Rio, Otávio Leite, secretário de Turismo de Witzel, continuará licenciado da legenda. “Não tenho mais vida partidária”, diz. Já o amigo quer sair.

AINDA SOBRE A BIENAL DO LIVRO

O deputado federal Marcelo Calero (Cidadania), pré-candidato à Prefeitura em 2020, entrou na Justiça contra Crivella. Motivo: a polêmica envolvendo a tentativa do prefeito de recolher gibis com beijo gay.

CADÊ O CIRÃO DA MASSA?

O presidenciável Ciro Gomes está no Rio. E participou ontem de um evento na favela do Jacarezinho. Mas... pouquíssimos moradores participaram. A maioria dos presentes era gente do próprio PDT.

PEDETISTAS RECLAMAM

Filiados do PDT criticaram a organização da própria legenda. Ciro estava com o presidente do partido, Carlos Lupi, e a deputada Martha Rocha. A palestra foi sobre desemprego e violência no Brasil.

O RETORNO?

O MDB pode voltar ao setor elétrico. Leonam Guimarães, presidente da Eletronuclear, vai ao Nordeste, dia 30, pleitear nova usina nuclear. Irá com o senador Fernando Bezerra.

PICADINHO

Termina hoje o Festival Cervejeiro Carioca, na Cidade das Artes, Barra, com mais de 80 rótulos. Gratuito. Das 13h às 23h.

Sexta, o evento ‘Manhã do Futuro’ oferece oficinas culturais gratuitas no Teatro Popular Oscar Niemeyer, em Niterói.

Amanhã, às 14h, a Unicesumar Barra e Bodytech Cittá promovem a palestra ‘Mente sã, corpo são’, com a psicóloga Flavia Pitella.

SOBE

NEYMAR

Apesar de ter sido vaiado e xingado pela torcida do PSG, o jogador fez um golaço e deu a vitória ao time francês.

DESCE

GLENN GREENWALD

A Abraji, associação de jornalismo investigativo, divulgou nota contra jornalista por ele chamar repórteres de corruptos.

Comentários