Salão de Estudante

Feira, que ocorre amanhã e terça-feira, é voltada para quem quer estudar lá fora. Especialistas dizem que curso no exterior abre portas para chances no mercado

Por Marina Cardoso

Capital carioca recebe mais uma edição do Salão de Estudante no Hotel Rio Othon Palace, em Copacabana, e no Hotel Windsor Marapendi, na Barra da Tijuca, amanhã e na terça-feira, das 15h às 19h30
Capital carioca recebe mais uma edição do Salão de Estudante no Hotel Rio Othon Palace, em Copacabana, e no Hotel Windsor Marapendi, na Barra da Tijuca, amanhã e na terça-feira, das 15h às 19h30 -

Para se destacar e disputar uma vaga de trabalho em um mercado cada vez mais competitivo, um currículo cheio de experiência e com bagagem internacional pode ser um diferencial. Um dos caminhos que pode abrir portas é o de cursos no exterior. Para isso, o Salão do Estudante, organizado pela Business Marketing International (BMI), é uma boa oportunidade para quem quer estender a faculdade, pós-graduação, especialização, MBA, mestrado e doutorado no exterior.

A feira chega a 24ª edição com uma extensa programação. Amanhã, o evento ocorrerá no Hotel Rio Othon Palace, em Copacabana. Depois, na terça-feira, segue para a Barra da Tijuca, no hotel Windsor Marapendi. Nos dois dias, o evento será das 15h às 19h30.

Durante a feira, que concentrará representantes de universidades e escolas de idiomas de 16 países, além de agências de intercâmbio do Brasil, será possível conversar com representantes de consulados, diretores de instituições e ex-alunos para obter dicas sobre os cursos e a cultura de cada local. Os países que marcarão presença este ano são: Alemanha, Argentina, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Irlanda, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Suíça e Suécia. Também haverá seminários para ajudar os interessados descobrir sobre a experiência internacional.

Para Priscilla Gomes, gerente de marketing da BMI, com o mercado de trabalho mais disputado se exige que o profissional tenha um diferencial no currículo. "Além de um segundo idioma no currículo, a própria vivência em uma cultura diferente é importante para o profissional", afirma. 

A presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH-RJ), Lucia Madeira, concorda que os recrutadores veem com bons olhos quem passou por uma experiência no exterior. "Um curso lá fora mostra que ele provavelmente deve ter iniciativa, coragem para arriscar e se adaptar à mudanças", explica. 

INFORMAÇÃO NO CURRÍCULO

A especialista em RH e diretora-geral do Grupo Capacitare, Débora Nascimento, explica como a pessoa pode colocar as informações do intercâmbio no currículo. "Ele pode citar no documento, de forma resumida, como uma vivência internacional, relatando onde foi, qual período e o que realizou lá - estudo ou trabalho, por exemplo", orienta. 

E, na entrevista, o candidato pode relatar com mais detalhes essa experiência, sempre mostrando, por meio de exemplos práticos, competências e habilidades que ele desenvolveu nas situações vividas durante a viagem.

"As empresas busca habilidades de lidar com novas situações, não necessariamente conhecimentos técnicos. O lado cultural e de convivência com a diversidade pode ser um diferencial enorme na hora da entrevista", finaliza Lucia. 

Possibilidade de concorrer à bolsas de estudo

O Salão do Estudante elaborou uma análise feita com base no questionário de registro para a visitação do evento que mostrou mudanças no perfil dos brasileiros que buscam cursos no exterior. Foi possível notar uma elevação na quantidade de indivíduos que possuem pós-graduação. "Isso pode ser explicado pelo competitivo mercado de trabalho que valoriza um profissional diferenciado. O curso de línguas continua liderando o ranking dos mais procurados, mas ficou evidente que agora há mais gente atraída por cursos focados na carreira, com diplomas e certificados", afirma Samir Zaveri, presidente e diretor executivo da BMI.
"Para ter custos reduzidos, Escolher cidades menores também é uma opção, pois
o custo de vida sai mais barato. É importante lembrar que um curso de graduação no exterior pode sair mais barato que aqui no Brasil. Em Portugal, o curso pode ser até 50% mais barato que no Brasil", afirma Priscilla. 
Há, ainda, instituições que oferecerão bolsas durante o evento. Para ter acesso, existe um processo rigoroso de seleção para alunos que atendem a todos os pré-requisitos necessários.
Para participar do evento, o interessado precisa se registrar por meio do site www.salaodoestudante.com.br.

Galeria de Fotos

Capital carioca recebe mais uma edição do Salão de Estudante no Hotel Rio Othon Palace, em Copacabana, e no Hotel Windsor Marapendi, na Barra da Tijuca, amanhã e na terça-feira, das 15h às 19h30 Divulgação
Interessados nos cursos na última edição do Salão de Estudante Divulgação

Comentários