Para vender ou alugar, especialistas explicam quais devem ser os métodos para não desvalorizar imóvel

Documentação irregular, má conservação e acessibilidade são alguns dos fatores que podem depreciar empreendimentos

Por Marina Cardoso

Um dos fatores mais importantes para se evitar a desvalorização de um imóvel é estar com a documentação regularizada
Um dos fatores mais importantes para se evitar a desvalorização de um imóvel é estar com a documentação regularizada -
Rio - Quando o proprietário de um imóvel quer colocar o empreendimento à venda ou lugar, existem alguns fatores que podem diminuir o valor de um imóvel. Entre eles, documentação irregular, má conservação e acessibilidade. Mas, para ajudar nesses problemas e identificar outros problemas que podem baixar o valor do bem, especialistas reuniram dicas.
Um dos fatores mais importantes para evitar a desvalorização é estar com a documentação regularizada. Caso esses documentos estejam incompletos, irregulares ou com débitos de impostos atrasados, a queda do
valor torna-se algo iminente. No Brasil, não há como formalizar o aluguel ou venda de um imóvel que esteja com pendências legais.
“Alguns dos documentos que podem provocar a desvalorização são a falta de escritura e do habite-se. Para tentar amenizar um desses problemas, há uma lei hoje que dispensa o habite-se de todas as moradias populares com caráter unifamiliar, de pavimento térreo e construídas há mais de cinco anos”, explica Renato Orfaly, diretor executivo da Casafy, plataforma de venda e aluguel de imóvel.
Outro fator que pode depreciar o imóvel e pesar na definição do aluguel ou compra é o estado de conservação. Problemas como pontos de mofo, vazamentos, infiltrações, dentre outros, podem trazer uma impressão ruim para o locatário ou comprador.
“É necessário verificar todos os defeitos. Na locação, o proprietário deve se responsabilizar por sanar todos estes vícios. Já na compra, é possível negociar para reduzir o valor e, até mesmo, abater os custos com reparos do valor final a ser pago”, explica o advogado Leandro Sender.
MELHORIAS NO CONDOMÍNIO
Outra questão que pode influenciar na depreciação do imóvel é a questão da segurança. Mas, para tentar reverter esse fator, o proprietário pode propor equipamentos de segurança para o condomínio. “Nesse caso, é importante investir na segurança do prédio, como câmeras e um rigoroso controle de acesso, entre outros. O proprietário do imóvel pode reivindicar para convocar uma assembleia e apresentar proposta para o condomínio”, afirma Daniele Souza, gerente de locação da Precisão Empreendimentos Imobiliários.
Outra questão que pode ser difícil na hora de tentar vender ou alugar é a mobilidade. Residir longe de comércios, supermercados, escolas e ter difícil acesso a meios de transporte podem ser empecilhos para a
valorização de um imóvel.
Além disso, há o fator da poluição sonora. Imóveis próximos a estabelecimentos muito barulhentos são mais difíceis de serem alugados e têm seu valor reduzido, e, quando locados, os inquilinos não costumam permanecer por muito tempo. Morar próximo a avenidas muito movimentadas, apesar de ser positivo por causa da mobilidade, também pode ter um lado ruim, devido ao barulho provocado pelos automóveis. “Esses fatores estão fora do alcance do proprietário do imóvel. Nesse caso, o melhor é tentar chegar a um acordo no melhor valor para ambos”, finaliza Orfaly.

Comentários