Saúde capacita profissionais da enfermagem sobre sarampo

Cerca de 80 servidores participaram do evento e Nova Iguaçu não teve casos confirmados da doença este ano

Por O Dia

Enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam nas unidades saúde participaram das palestras
Enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam nas unidades saúde participaram das palestras -
Enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam nas unidades básicas de saúde de Nova Iguaçu participaram, nesta quarta-feira , dia 14, de um treinamento sobre a prevenção de sarampo. A capacitação aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e teve como objetivo discutir os sintomas e notificações, além de orientar quanto a caderneta de vacinação. Cerca de 80 profissionais participaram do evento.

Nova Iguaçu não teve casos confirmados da doença este ano. “O grande objetivo é que os profissionais sirvam como multiplicadores da informação para as unidades de saúde de Nova Iguaçu, com informações relativas aos sinais, sintomas e ações de bloqueio contra o sarampo, já que é um momento que a doença está em evidência”, explica o secretário municipal de Saúde, Manoel Barreto.

Para Virginia Moreira, superintendente e técnica da Vigilância Epidemiológica do município, a capacitação é uma forma de atualizar os profissionais da saúde e reforçar a importância das notificações de casos suspeitos de sarampo. “Não houve registro de sarampo em morador de Nova Iguaçu, mas estamos alerta para pessoas que contraíram a doença em outra cidade ou estado, venham visitar nosso município e a doença possa se manifestar", conta.
"A cada caso suspeito notificado a ação de bloqueio vacinal deve ser desencadeada imediatamente”, explica ela, que comandou o treinamento ao lado de Nielsen Carlos, coordenador do Programa de Imunização de Nova Iguaçu, e o enfermeiro Ricardo Ferreira, que também atua na área técnica.

O sarampo é uma doença viral, infecciosa, grave, extremamente contagiosa e comum na infância. A doença geralmente é acompanhada por febre, manchas vermelhas no corpo, tosse, coriza e conjuntivite, independente de idade. A transmissão pode acontecer de quatro a seis dias antes o surgimento das manchas e quatro dias após o aparecimento dos sintomas.

Vacinar é a melhor forma de proteger contra a doença, e Nova Iguaçu vem cumprindo o seu papel. No ano passado o município atingiu acima dos 95% de cobertura vacinal contra o sarampo, como preconizado pelo Ministério da Saúde. “Esse evento é uma maneira de preparar os profissionais para orientar da melhor maneira o paciente que não foi vacinado ou não se lembra de doses anteriores. Todos os postos de saúde de Nova Iguaçu possuem a vacina Tríplice Viral contra o sarampo”, afirma Nielsen Carlos.

Enfermeira da Clínica da Família Nádia Silva de Oliveira, em Geneciano, há sete anos, Aline Fernandes Bezerra, de 37, aprovou o treinamento. “São capacitações importantíssimas para todos estarem preparados para reconhecer possíveis sintomas, levar a informação para seu ambiente de trabalho e dessa forma orientar a população.”, ressalta ela.

A primeira dose da vacina Tríplice Viral (sarampo, rubéola e caxumba) deve ser aplicada em crianças a partir de 12 meses. Entre 15 e 23 meses a criança deve receber a vacina Tetra Viral, que corresponde a 2ª dose do sarampo, rubéola, caxumba e dose única de varicela. Pessoas até 49 anos que nunca foram vacinadas ou estão sem a comprovação das doses anteriores devem comparecer a um dos 57 postos de saúde de Nova Iguaçu para uma avaliação sobre a necessidade da aplicação da vacina e terão uma caderneta atualizada. Profissionais da saúde devem ter duas doses da Tríplice Viral, independentemente da idade.










Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam nas unidades saúde participaram das palestras Lucas Mendes / Divulgação PMNI
O grande objetivo é que os profissionais sirvam como multiplicadores da informação Lucas Mendes / Divulgação PMNI

Comentários