André Gracindo e Fabiana Vilar: Picadeiro Móvel

Sesc RJ promove encontro de artistas de todo o Brasil com o público

Por O Dia

Picadeiro Móvel
Picadeiro Móvel -
Rio - Criado em 2018, com o objetivo de apresentar um panorama da produção circense brasileira, reunindo trabalhos de tradição e de investigações contemporâneas de todo o Brasil, o Picadeiro Móvel caminha para sua quarta edição em novembro de 2019.

O projeto que é a maior realização na linguagem de circo do Sesc Rio de Janeiro, teve suas edições anteriores realizadas no Museu de Arte do Rio, Parque Radical de Deodoro e no Campo de São Bento, em Niterói. A próxima edição, prevista para cidade de Duque de Caxias, irá receber no mês de novembro a maratona de circo que envolve espetáculos, intervenções, atividades formativas e encontros entres profissionais.

Embora seja uma linguagem de grande expressividade junto ao público, com forte tradição e influência na formação cultural do país, o circo tem enfrentado ao longo dos anos a falta de apoio financeiro e constantes processos burocráticos para realização da prática em espaços públicos.

Diante deste cenário, o Sesc Rio busca através deste projeto, incentivar o desenvolvimento da atividade circense, contemplando em cada edição representantes de diferentes regiões do Brasil, proporcionando o acesso gratuito a espetáculos e atividades formativas da linguagem.

Além de contemplar trabalhos de cerca de cem profissionais em cada edição, o Sesc promove também o encontro dos artistas participantes da mostra com curadores de diversos festivais de circos do Brasil, a fim de proporcionar novas oportunidades.

Já participaram da programação artistas de grande representatividade na área como: La Mínima (SP), Os parlapatões (SP), Richard Riguetti (RJ), João Artigos (RJ), Valentim Flamini (Argentina), Circo Girassol (RS), Rapha Santacruz (PE), Lívia Mattos (BA), Cia Traço (SC), Cia do Relativo (SP), Cia Nós do Bambu (DF), Teatro de Anônimo (RJ), Circo Amarillo (SP), dentre outros.

Se dirigindo a qualquer público, o circo rompe as barreiras da linguagem, sendo capaz de provocar o riso e a surpresa, ainda que sem dizer uma única palavra. Um lugar mágico que reúne o desengonço e a virtuose, o truque e a habilidade, o risco e o domínio da técnica, o espanto e a proeza.

Acreditamos que através deste projeto, o Sesc RJ assume o compromisso de apresentar ao grande público a força criativa, a inventividade e a ousadia de artistas integrantes de grupos e companhias de circo tradicional e contemporâneo do Brasil, buscando impactar no desenvolvimento, fortalecimento e na renovação das artes circenses.

André Gracindo e Fabiana Vilar são analistas técnicos da Gerência de Cultura do Sesc RJ

Comentários