Saiba como se prevenir do golpe da 'bomba baixa' nos postos

Dos 37 postos de combustível autuados no estado, por bombas com irregularidades, 20 estão na cidade do Rio

Por Thuany Dossares

Rio de Janeiro - RJ  - 301/11/2019 - Bombas de combustiveis adulteradas causam prejuizo aos clientes em alguns postos -  foto: Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 301/11/2019 - Bombas de combustiveis adulteradas causam prejuizo aos clientes em alguns postos - foto: Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia -

Rio - Aumentou em mais de seis vezes o número de postos de combustíveis multados, em todo o estado, pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-RJ), por medição irregular e entrega aos clientes de quantidades menores do que as solicitadas. Neste ano, até o dia 4 de novembro, a "bomba baixa" foi constatada em 37 estabelecimentos dos 1.632 fiscalizados. Em 2018, apenas seis postos foram autuados, dos 1.924 examinados. De acordo com o órgão, essa falha pode acontecer por um erro técnico na bomba ou por fraude. 

A cidade do Rio de Janeiro é a que mais tem postos de combustíveis cometendo essa irregularidade, seja por um erro técnico na bomba ou por fraude, neste ano. Dos 37 estabelecimentos autuados em todo o estado, 20 estão localizados na capital.

O Ipem informou, ainda, que outros 11 municípios tiveram estabelecimentos penalizados, por medição de combustível de forma anormal. Itaguaí, na Baixada, contabilizou quatro postos; Teresópolis, na Região Serrana, três. Cidades como Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana; e Caxias, na Baixada, também têm estabelecimentos na lista.

Veja como denunciar as irregularidades

O presidente do Instituto de Pesos e Medidas, Alexandre Valle, explicou o que o consumidor pode fazer para não ser lesado pela "bomba baixa": "Na hora de abastecer, o consumidor deve conferir se o equipamento está zerado e lacrado. Caso desconfie, pode ligar para a ouvidoria do Ipem", ressalta.
 
Segundo o instituto, o caso que mais chamou atenção foi o de um posto na Avenida Brasil, localizado na altura de Parada de Lucas, onde 16 das 20 bombas fiscalizadas tiveram que ser interditadas. Para cada medidor de 20 litros examinado, a diferença do produto entregue a menos chegou a 2,2 litros, em média.
 
Para driblar esse tipo de fraude, o motorista de aplicativo Anderson Soares, de 25 anos, diz que abastece sempre no mesmo local, "justamente para evitar que isso aconteça". Quem se sentir lesado pode entrar em contato com a Ouvidoria do Ipem-RJ, no número (21) 3979-8993 (capital e região metropolitana); 0800 282 3040 (demais regiões) ou ainda pelo e-mail ouvidoria@ipem.rj.gov.br.

Bombas são lacradas, além de multa

Em situações regulares, os fiscais fixam um lacre do Inmetro, no momento da inspeção, nas bombas de combustível que se apresentam em conformidade com a legislação.

Caso contrário, segundo o Ipem, as bombas são lacradas, os postos são autuados e penalizados com multa, que varia de acordo com a infração cometida, já que o estabelecimento pode ter fraudado a bomba ou simplesmente ter sofrido com uma falha técnica, que resultou na irregularidade.

"Quando há essa irregularidade, as bombas são lacradas e, para que possa voltar a funcionar, o posto deve pedir a uma empresa credenciada para efetuar o reparo", explicou Valle, lembrando não haver prazo limitado para que o posto realize o conserto.

Confira os 37 postos autuados pelo Ipem-RJ por "bomba baixa"

Posto de Combustíveis Acesso Leste Ltda - Resende

Nordeste Petróleo Ltda – Rio de Janeiro

Frentana Posto de Serviços Ltda – Rio de Janeiro

Posto Iccar Ltda - Niterói

Posto de Gasolina Flor do Mato Alto Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto Serviço El Sombrero Ltda – Duque de Caxias

Nova Madureira Auto Posto Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto Carioca Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto Trabalho AS – Rio de Janeiro

Multi Posto Centro Automotivo Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto Santa Maria da Feira Ltda – São Gonçalo

Posto de Gasolina Nobre Ltda – Rio de Janeiro

Posto 13 de Julho de Teresópolis Ltda - Teresópolis

Rio Maracanã Posto de Gasolina Ltda – Rio de Janeiro

Posto de Abastecimento Arcanjo Ltda M.E – Rio de Janeiro

Posto de Gasolina Greicigil ME – Rio de Janeiro

Makro Atacadista Sociedade Anônima – Rio de Janeiro

Posto Estação de Teresópolis Serviços Ltda - Teresópolis

Posto Gasolina do Netinho Ltda – Nova Iguaçu

Ouro Negro Combustíveis Lub. Acess. e Serviços Ltda – Rio de Janeiro

Auto Centro Gabrielle Alves Ltda - Mesquita

Comercial Madalenense Ltda – Santa Maria Madalena

Auto Posto JTX de Olaria Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto Serviço Pedro Lessa da Rio Magé Eireli – Duque de Caxias

Auto Posto Jermon Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto Vieira de Teresópolis Ltda - Teresópolis

Posto 2015 Combustíveis Ltda - Saquarema

Posto de Gasolina das Américas Ltda – Rio de Janeiro

Auto Posto JMX Ltda-ME – Itaguaí

Auto Posto do Trabalho Itaguaí III Ltda - Itaguaí

PRS Empresa Administrado de Postos de Combustíveis - Itaguaí

Enzo de Itaguaí II Ltda - Itaguaí

Posto de Abastecimento M R Ltda – Rio de Janeiro

Posto de Gasolina Mabá Ltda – Rio de Janeiro

Posto de Gasolina Toledo Ltda – Silva Jardim

Posto de Gasolina Jardim Sulacap Ltda – Rio de Janeiro

Posto Novo de Gasolina Cascadura Ltda – Rio de Janeiro

DICAS DO PROCON PARA O CONSUMIDOR

O Procon deu uma dica importante para que o consumidor não pague a mais pelo combustível que não recebeu, que é observar o tanque do próprio veículo antes do início do abastecimento.

"Ao abastecer, verifique se realmente o que marca na bomba, foi o que entrou no tanque. Caso desconfie, solicite que seja feito teste do galão de 20 litros (o "bomba baixa")", explica o órgão de defesa do consumidor.

Segundo eles, se durante o exame der 60 ml abaixo do marcador zero, que é a tolerância dada pela portaria do INMETRO, a bomba está desregulada e abastecendo menos do que o pedido pelo cliente.

O Procon do Rio garante que caso o consumidor constate a diferença no abastecimento, ele pode exigir o abatimento proporcional do valor pago.

Denúncias podem ser feitas através do número 151, que é um canal de tele atendimento do órgão, ou do telefone (21) 2216-8686. Outro canal são os emails reclame@procon.rj.gov.br e ouvidoriaproconrj@gmail.com. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Galeria de Fotos

Rio de Janeiro - RJ - 301/11/2019 - Bombas de combustiveis adulteradas causam prejuizo aos clientes em alguns postos - foto: Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Posto de combustível autuado na Avenida Brasil, altura de Parada de Lucas: o caso chamou atenção dos fiscais, com 16 das 20 bombas lacradas Ricardo Cassiano
Rio, 05/11/2019, - ESPECIAL - Posto de combustivel que funcionava com bambas adulteradas. Parada de Lucas, Zona norte do Rio. Foto: Ricardo Cassiano/Agencia O Dia. Foto: Ricardo Cassiano/Agencia O Dia.
Rio de Janeiro - RJ - 301/11/2019 - Bombas de combustiveis adulteradas causam prejuizo aos clientes em alguns postos - foto: Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 301/11/2019 - Bombas de combustiveis adulteradas causam prejuizo aos clientes em alguns postos - foto: Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 301/11/2019 - Bombas de combustiveis adulteradas causam prejuizo aos clientes em alguns postos - foto: Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia

Comentários