Cid Moreira: 'Nunca precisei de Viagra'

Jornalista comemora 50 anos de TV Globo e 19 de parceria com Fátima Sampaio

Por O Dia

Cid Moreira
Cid Moreira -
Cid Moreira completa hoje 50 anos de TV Globo. Aos 91 anos, o apresentador que tem a voz mais conhecida do Brasil continua contratado da emissora e agora investe em seu perfil no Instagram. Na entrevista a seguir, Cid revisita os seus 73 anos de carreira e lembra que recebeu proposta para trabalhar na teledramaturgia da emissora lá pelos anos 60, mas o cachê não foi atrativo. Casado há 19 anos com a também jornalista Fátima Sampaio, Cid afirma nunca ter usado Viagra na vida: "Minha vida sexual, por enquanto, é normal. Primeiro, porque sou vegetariano e isso já desde os 33 anos, então como muita fruta, me alimento bem".
Qual sensação de chegar aos 50 anos de TV Globo?
Eu sempre trabalhei em grandes empresas. Antes de ir para a Globo, peregrinei pelos canais de televisão da época, como a TV Rio, TV Tupi e TV Excelsior. Eu caminhei pelas emissoras até chegar na Globo onde me firmei há 50 anos.
Qual ponto positivo que fez o senhor permanecer na Globo?
Um dos motivos que fiquei foi que ela nunca atrasou pagamento, em cinquenta anos. Em outros canais que eu trabalhei isso era um drama. Acredito que esse é um item positivo.
O caminho trilhado foi difícil?
São fases da vida. Comecei no rádio em minha terra, Taubaté, em São Paulo. E, de lá, fui para a Bandeirantes, onde fiquei dois anos. Depois, fui para Mayrink Veiga, emissora que foi cassada na época da revolução. Eu saí um ano antes da cassação (1963). Também tive uma breve passagem pelo teatro como narrador na peça 'Como Vencer na Vida Sem Fazer Força', numa versão de Carlos Lacerda, governador do Rio de Janeiro na época. O espetáculo era com Moacyr Franco e Marília Pêra.
Já pensou em ser ator?
Já tive essa chance de fazer novela no começo da Globo, nos anos 60. Antes disso também fui convidado para fazer filmes. Mas acontece que o cachê não me atraiu nem um pouco. Eu gravava muitos comerciais e faturava os gravando. O cachê como ator não cobria o que estava ganhando na publicidade.
O que o senhor sente mais saudade da época do jornal?
Eu sou um homem de fases. Não sou de ficar sentindo saudade nenhuma. Cada fase minha foi ótima. Sou Guinness Book (Cid é o jornalista que mais tempo comandou um telejornal). Até agora esse troféu ninguém me tirou. O William Bonner tem toda chance para superar, porque ele já tá com 23 anos no 'Jornal Nacional'. O meu número é 27, faltam só quatro anos para ele bater meu recorde.
Cid Moreira - Jornalismo
 
Então não se considera nostálgico?
Eu não sinto saudade de nada porque eu vivo intensamente meus momentos. Quando deixo de fazer algo, acabo e parto para outra! Eu tenho esse dom de esquecer. Sempre foi assim. Tive muito sucesso no rádio e na televisão, graças a Deus. Sem falar que consegui gravar a bíblia na íntegra, de Gênesis a Apocalipse, demorou seis anos. Também outro sucesso porque ninguém havia gravado.
O senhor se arrepende de alguma coisa?
Não. Tudo que fiz não me arrependo de nada. Sou perfeccionista, sempre procuro fazer o negócio bem feito. Tem dado muito certo. Não tenho nada do que me queixar não.
Num mundo com cada vez mais fakenews (notícias falsas), o que acha do papel do jornalismo hoje?
Notícias falsas sempre existiram, agora deram esse nome em inglês. Hoje, com as redes sociais e esse poder incrível que é internet, qualquer um solta uma besteira qualquer e aquilo viraliza. Hoje vivemos uma época que um monstro tem que ser domado, que é a internet. Ela está superando tudo, liquidando tudo, inclusive a TV. Hoje todo mundo é fotógrafo, cinegrafista e repórter. O Bolsonaro, por exemplo, foi eleito por rede social.
Você acha que a internet é capaz de acabar com a televisão?
No meu ponto de vista, todo mundo é como se fosse uma TV. O cara chega lá e publica. É uma TV em miniatura. Aquele que tem mais audiência, quanto mais conseguir de conteúdo também vai atrair quem gosta. O semelhante se atrai. As pessoas que gostam do meu Instagram (@ocidmoreira), vão me seguir porque mostro o lado positivo, também falo da Bíblia e de outros assuntos bacanas.
Nos últimos meses, o senhor se entregou ao mundo das redes sociais. Como tem sido essa experiência?
Estou curtindo muito. Comecei praticamente em janeiro deste ano. Estamos no quarto mês e já passei dos 250 mil seguidores no Instagram.
Como são as gravações de poesia?
Estou estudando para lançar poemas nas redes sociais, com autores de domínio público. Venho estudando há três anos para isso e estou quase começando este trabalho. Já até soltei uma como experiência. Eu vou soltar no Instagram e no Facebook. Também estou pensando em fazer uma transmissão ao vivo. Talvez eu faça comemorando os 50 anos de Globo, com duração de meia hora.
Por que resolveu entrar nas redes?
Eu nem ia entrar, não havia me interessado ainda. É que umas dez pessoas estavam usando meu nome como perfil falso. Ainda não tenho o selo oficial justamente por isso. Muita gente pensa que não sou eu.
Está viciado ou é mais moderado nas redes?
Minha mulher me ajuda muito, porque também é jornalista. Eu conto as coisas para ela e ela vai botando. A gente divide os trabalhos. Como ela é bem mais nova (Fátima tem 45 anos), então tem mais conhecimento.
Como está sua ponte aérea, já que vive viajando para a Flórida?
Passo uma temporada lá outra no Brasil. O irmão da minha mulher tem casa na Flórida. A residência é muito boa, à beira do lago. A gente sempre vai pra lá e volta.
A Fátima é muito parceira?
Sim. Ela é ótima. A Fátima é a mulher dos meus sonhos. Estou com ela há 19 anos. É um presente de Deus pra mim, eu pedi e ele me deu.
Para muita gente, vida sexual na terceira idade é tabu. Como o senhor lida com isso?
Minha vida sexual, por enquanto, é normal. Primeiro, porque sou vegetariano e isso já desde os 33 anos, então como muita fruta, me alimento bem. Tenho em casa um salão que dividi ao meio, numa parte tenho aparelhos para musculação e, na outra, faço pilates. Também tenho duas saunas. Eu me trato muito e me exercito muito. Isso ajuda meu desempenho. Até aqui está tudo funcionando (risos). Tem gente bem mais nova que já está batendo pino. Tem cara que vicia em Viagra e já viu né... Eu nunca precisei de Viagra. Nunca tomei e nem vou tomar.
Como está a saúde?
Está 100%. Ainda hoje fui ao médico. Minha pressão é igual a de um garoto. Não faço uso de remédios,apenas algumas vitaminas.
Se considera um cara mais tradicional ou moderno?
Eu sou um meio, puxando mais para moderno. Eu sou o antigo gostando de ser moderno (risos). A diferença foi que Deus me permitiu chegar a essa fase da vida com muito fôlego.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Cid Moreira Divulgação
Cid Moreira Jornalismo

Comentários